ANIVERSÁRIO da GRANDE LOJA UNIDA DE PORTUGAL

Meus Queridos Irmãos,

Em todos os Vossos Graus e Qualidades

Faz hoje precisamente um ano, neste mesmo local, recordámos a nossa vocação de sempre, que é a de sermos Excelentes Maçons e criarmos uma Maçonaria onde nos revíssemos e onde pudéssemos trabalhar em harmonia, em paz e sempre em favor do próximo e da Sociedade.

Foi assim que surgiu a Grande Loja Unida de Portugal.

Uma Grande Loja, que quis que uma nova geração de Maçons servisse Portugal.

Uma Grande Loja que recuperasse os landmarks, princípios e valores da maçonaria regular, mas ainda e consequentemente, que transmitisse uma imagem moderna, aberta e sem preconceitos de prática efetiva dos princípios basilares da justiça, liberdade de pensamento, solidariedade, fraternidade, verdade e honestidade.

Somos e temos que continuar a ser uma Instituição que ao final de 300 anos, funciona como uma plataforma entre Homens, culturas, capazes de criar diálogo, fazer a paz, aproximar visões diferentes.

Para isso, idealizamos e construímos uma Grande Loja, assente na formação constante a todos os níveis, Aprendizes, Companheiros e Mestres, apostando na Cultura e na Educação como pilares fundamentais para que não se repetissem erros do passado… mas também apostámos numa abertura ao mundo exterior, colaborando e integrando-nos na nossa comunidade local. Hoje, podemos dizer que pela primeira vez na vida da Maçonaria em Portugal, existe uma Instituição que não se envergonha de se assumir publicamente e que se integra de forma plena na comunidade local, ajudámos os bombeiros, realizamos atividades em parceria com as Juntas de Freguesia, aproximámo-nos da Igreja, somos reputados como Homens de Bem e a população reconhece-nos como tal…

É indesmentível que trabalhámos todos imenso neste nosso primeiro ano. Tivemos a sorte de muitos dos nossos Irmãos terem sentido este projeto como algo de seu e nos terem ajudado muitíssimo.

Conseguimos construir um Templo, o melhor do país, mas mais importante do que isso, conseguimos que esse Templo nos transmita uma energia positiva e que todos sentimos que contribuímos para a sua construção.

No final deste primeiro ano, trabalhámos no nosso crescimento interno, elevámos a nossa formação e conhecimentos, abrimos e demo-nos a conhecer ao exterior, encetámos aproximações com entidades com as quais nos cruzamos diariamente, ajudámos os que mais precisavam…

Tudo isto foi obra nossa, de todos os Maçons da Grande Loja Unida de Portugal.

No entanto, muito ainda temos que fazer.

O crescimento da nossa Grande Loja terá que manter um ritmo adequado, nomeadamente criando mais Lojas e consolidando as atuais. Será por esta razão que em setembro arrancaremos com três novas Lojas. Mas temos que realizar um esforço para que Todos entendam este crescimento como natural.

Outro dos nossos objetivos, prender-se-á com o nosso reconhecimento exterior e essa etapa iniciar-se-á agora.

Já demos provas do que somos e daquilo que podemos sonhar…

Como tantas vezes já repetimos, a Maçonaria teve, ao longo da história, um papel essencial no avanço da humanidade, na liberdade dos povos e na melhoria das condições de vida das pessoas.

É essencial preservar esse rumo pois a Maçonaria continua a fazer sentido enquanto caminho de aperfeiçoamento individual, partilha de vivências e contributo para a melhoria da vida em comunidade. Nesse sentido, importa que a Maçonaria seja uma escola de valores e princípios e uma academia de liderança. Um espaço de liberdade, de pensamento, de debate e inovação, de criação de projetos que contribuam para a melhoria da sociedade.

Nestes últimos meses de flagelos que assolaram o nosso país, conseguimos doar mais de 2 toneladas de alimentos e roupas…

Quando queremos, nos unimos no fundamental, e trabalhamos com competência, com método e com metas claras – superamos todas as dificuldades.

Faz um ano, não nos davam 3 meses de vida, não acreditavam que fossemos capazes de construir e edificar uma Grande Loja…. Errada pretensão, esqueceram-se que nós somos verdadeiros Maçons e que Unidos não nos conseguem deter.

Nós já tínhamos aprendido uma lição de que, no essencial, temos sucesso quando sempre estivermos unimos.

Neste tempo em que nos abrimos e nos demos a conhecer como no passado dia 24 de junho, temos de reafirmar os nossos princípios e saber o que é preciso fazer primeiro.

Os nossos princípios: acreditamos nas pessoas, no respeito da sua dignidade, das suas diferenças, dos seus direitos pessoais, políticos e sociais; acreditamos na democracia; acreditamos no Estado Social; acreditamos no dever de construir a solidariedade e a paz, e de lutar contra o terrorismo, na Europa onde nascemos, na Comunidade que fala português que ajudámos a criar, no Atlântico que atravessámos, nos novos mundos onde estivemos e estamos e queremos unir cada vez mais

À luz destes princípios, iremos continuar a construir o que foi iniciado há 300 anos.

Com esperança.

Com confiança.

Com fraternidade.

Acreditando sempre em nós próprios.

Acreditando sempre na Maçonaria e em Portugal!

Estamos Todos de Parabéns, Brindamos ao nosso 1º Aniversário!

Paulo Cardoso

Grão-Mestre

1717 :. 2017 – 300 Anos pela Liberdade e Solidariedade

A Maçonaria, pelo facto de ter assumido como principio o combate pela liberdade e a solidariedade com todos aqueles a quem esta era negada, é das poucas instituições não reconhecidas e perseguida pelos regimes totalitários há cerca de 300 anos. A Maçonaria perfilha os princípios da Liberdade, Fraternidade e Igualdade entre todos os Homens livres e de boa vontade, fomenta-os junto dos seus membros, incentivando-os a que os promovam e apliquem na sua conduta, dentro da sociedade em que se inserem. Pretende, deste modo, contribuir para o  desenvolvimento são, justo e harmonioso de todos os Homens, independentemente do seu credo, raça, género ou condição.

Este é o verdadeiro significado e afirmação da Maçonaria no Mundo, coerente e unificadora entre o seu passado, presente e futuro, assumindo assim o papel de defensora da Liberdade e da Solidariedade, valores relativamente aos quais nunca deixará de responder, hoje, como ontem e amanhã,  junto de todos os Homens.

A Grande Loja Unidade de Portugal, assumindo-se como uma obediência Maçónica completa e fiel cumpridora de todos os Milestones da Maçonaria Universal, não poderia deixar de aproveitar a celebração dos 300 Anos da defesa destes valores e princípios para os enaltecer, associando assim diretamente a sua imagem, com a data e conceito de tão extraordinária efeméride, fundindo-os de modo a constituírem um único elemento que doravante estará presente em toda a sua comunicação.

Dia Internacional da Maçonaria e do Maçon

A 22 de Fevereiro de 1994 realizou-se em Washington, capital dos Estados Unidos, a Reunião Anual de Grão-Mestres das Grandes Lojas da América do Norte, com a presença de representantes das principais Obediências da Maçonaria Regular, das quais se destacam a Grande Loja Unida de Inglaterra, Grande Loja Nacional Francesa, Grande Loja Regular de Portugal, Grande Oriente da Itália e o Grande Oriente do Brasil.

No final dos trabalhos, o Grão-Mestre da Grande Loja Regular de Portugal, o R:.I:. Fernando Paes Coelho TeixeiraV, propôs a fixação do dia 22 de Fevereiro como o Dia Internacional da Maçonaria e do Maçon, a ser comemorado por todas as Obediências reconhecidas, proposta que foi aprovada por unanimidade. Recordamos que o dia 22 de fevereiro é a data comemorativa do nascimento de George Washington.

Assim, dando continuidade à tradição e prática de um conjunto de Grandes Lojas e de Lojas espalhadas por todo o Universo, que também recordam esta data, entendeu a Grande Loja Unida de Portugal, dada a responsabilidade que também lhe assiste em perpetuar o feito conseguido em 1994, realizar no seio da nossa Grande Loja um evento associado a esta data, um Ágape Branco, reunindo todos aqueles que partilham dos valores da Maçonaria.

Consagração da Grande Loja Unida de Portugal

Realizou-se no passado dia 4 de julho de 2016, a oriente de Sintra, a consagração da Grande Loja Unida de Portugal.
A data escolhida para a consagração da Grande Loja Unida de Portugal, teve em consideração a o dia 4 de julho de 1776, data da criação do primeiro País inspirado nos ideais maçónicos – Independência dos Estados Unidos da América.
Nesta consagração, estiveram presentes Irmãos nacionais e estrangeiros oriundos de várias Lojas da Maçonaria Regular.
A Carta Patente da Grande Loja Unida de Portugal foi entregue nesta data, depois de subscrita pelas Lojas Camões, Pátria e Marechal Teixeira Rebelo.